Não há outra maneira de obter sucesso nos procedimentos hospitalares, se não pelo ganho em eficiência e, para isso, os indicadores hospitalares são peças-chave. Podemos compará-los com o profissionalismo de um médico que chega ao tratamento correto do paciente, por meio de análises e exames.

Em outras palavras, é apenas através do ato de avaliar e mensurar dados, que uma instituição alcança sua plenitude funcional. Claro, não poderíamos deixar de notar a imprescindibilidade da tecnologia, que oferece soluções de Business Intelligence (B.I.) para viabilizar maior eficiência.

Se você acha que a gestão do seu hospital poderia de alguma forma absorver melhorias, saiba que a partir de agora, abordaremos quais são os 5 principais indicadores hospitalares. Nos acompanhe e descubra como ampliar a eficiência da sua instituição!

O que são os indicadores hospitalares?

Também conhecidos pela sigla KPI (Key Performance Indicator), podem ser compreendidos como métricas e até mesmo medidas, que possuem o objetivo único de fornecer à instituição – por meio de dados –  um panorama geral sobre o desempenho dos processos.

Dessa forma, é possível estabelecer metas mais tangíveis a serem alcançadas em uma gestão hospitalar. É como se fossem um guia que indica aos gestores a real situação de uma estratégia executada.

Contudo, acompanhar um indicativo não consiste apenas em analisar números. Indiferente ao indicador utilizado, ele deve seguir um grupo de parâmetros e regras preestabelecidos, a fim de surtir o efeito desejado.

Portanto, seja para compreender se a taxa de ocupação se mantém viável ou os agendamentos estão em funcionamento correto, o indicador deve ser explorado.

Como os indicadores ajudam a gestão do hospital

Vamos responder essa questão com uma outra pergunta. Você sabia que um estudo recente realizado pela Deloitte apontou uma alta de quase 5% ao ano em gastos direcionados ao cuidado com a saúde até 2021?

Embora o aumento representa maior arrecadação às instituições de saúde, o cenário real pode ser preocupante. Afinal, tal ganho não transparece melhorias para o setor, mas sim a necessidade de maior adequação, ao passo em que a concorrência cresce.

Todavia, Terri Cooper, líder global do setor de Health Care da Deloitte, fez a seguinte citação: “Os avanços tecnológicos em cuidados com a saúde, focados no paciente, podem ajudar os profissionais da área a trabalhar de maneira mais inteligente e eficiente”.

Sendo assim, apenas essa citação já corrobora para importância dos indicadores à instituição, uma vez que viabilizam, por meio da tecnologia, ganhos em eficiência nunca antes vistos, pois a tomada de decisão é certeira e contundente.

Conheça 5 indicadores importantes para a gestão hospitalar

1 – Indicadores de rentabilidade

Uma das principais vantagens desse indicador financeiro bem específico, é facilitar à gestão compreender sua rentabilidade de maneira detalhada. Certamente você já ouviu falar sobre o ROI (Retorno sobre Investimento), não é mesmo?

Então, através desse particular critério se consegue estabelecer em definitivo se todo o investimento está surtindo efeito, isto é, se sua receita mensal e até mesmo anual supera o valor despendido inicialmente.

Além disso, ter total controle sob a rentabilidade influencia pesadamente na redução de custos, que é famosa por ser uma das grandes dificuldades para qualquer hospital ou clínica.

2 – Indicadores que mensuram a qualidade do atendimento

A qualidade no atendimento reflete não apenas na satisfação do paciente/cliente. Inúmeras vezes o atendimento de excelência retrata também incontáveis vidas salvas, afinal essa é a premissa, não é mesmo?

Desse modo, o indicador pode ser facilmente implementado e, uma pesquisa de satisfação é por vezes o suficiente. Claro, ainda será necessário dispor de um software de gestão em saúde, a fim de registrar digitalmente as informações.

Logo, os gestores têm acesso direto aos dados e conseguem absorver o necessário para fazerem a diferença no dia a dia.

3 – Taxa de ocupação

Se você acredita que um hospital lotado reflete bom desempenho e eficiência, saiba que pode não ser bem assim. É por isso que o indicador da “taxa de ocupação” deve ser levado a sério.

Para que a eficiência faça parte direta dos processos é crucial analisar esse indicativo com esmero. É justamente essa taxa que evidencia o equilíbrio entre quantidade e qualidade.

Com essas informações em mãos o gestor visualiza qual o tipo de leito mais utilizado, principal faixa etária e tipo de convênio que mais traz demandas, por exemplo. 

4 – Média de permanência dos pacientes

A melhor maneira de gerir a eficiência da equipe, bem como dos processos é acompanhar o indicador da “média de permanência dos pacientes”. Entretanto, aqui é preciso um ponto de atenção! O equilíbrio deve ser o foco ao mensurar esse indicativo.

É inerente à gestão do hospital fiscalizar dois cenários distintos. O primeiro é quando há uma demora demasiada para liberar os pacientes. Será que há pouca eficácia no atendimento?

Já o segundo consiste na liberação de forma prematura, na qual o paciente é liberado, mas não está apto a ir para casa. Será que o atendimento está sendo superficial?

Portanto, esse indicador providência dados essenciais para que a gestão corrija potenciais problemas na cadeia de processos e traga o balanço ideal.

5 – Estabelecer o perfil epidemiológico com assertividade

Também conhecido como Perfil de Saúde, é um dos mais importantes indicadores que deve ser estabelecido e acompanhado de perto pela gestão de uma operadora de saúde. Podemos ilustrar um perfil epidemiológico com as seguintes características:

• Idade e gênero dos pacientes;

• Incidência de diagnósticos;

• Principais e recorrentes razões para internações;

• Hábitos usuais de vida;

• Doenças acometidas nos últimos anos;

• Histórico familiar.

A partir dessas informações em conjunto com dados complementares levantados nas análises de internações, é possível ampliar as estratégias de prevenção e estimular a promoção da saúde.

Entretanto, para que esse indicador realmente traga benefícios é imprescindível contar com a tecnologia. Um sistema de gestão hospitalar facilita a captação, inserção e acompanhamento das informações, tornando ainda mais estratégica as ações dos gestores.

Será que a instituição está operando acima ou abaixo da capacidade? A gestão dispõe de mais recursos que o necessário? Será que não é o momento para expandir? Por que ficar em dúvida? É só analisar esse indicador a fundo.

Quer saber mais sobre indicadores hospitalares e como podemos te ajudar com essa demanda? Então, não hesite em nos procurar, pois nossos profissionais estão apenas aguardando seu contato!

Rua Evaristo da Veiga, 154 - 3º Andar, Porto Alegre - RS - (51) 3021-0055 - 90620-230
Infraestrutura Plantão 24 Horas
51 99239-6976 (VIVO)
51 99238-7010 (CLARO)
Suporte
51 99767-7602
Receber novidades
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form.