Quando um hospital exibe a certificação de Acreditação Hospitalar, certamente ele se torna um modelo de instituição de saúde a ser seguido.

O procedimento para obter tal reconhecimento com mérito e eficiência, exige mudanças, transformações e reestruturação das diretrizes previamente seguidas.

A verdade é que o funcionamento de uma instituição de saúde é único e cada etapa está enlaçada à próxima. Em outras palavras, qualquer gargalo pode potencializar resultados negativos.

Contudo, a certificação é responsável por estimular a otimização dos processos hospitalares, já que é um dos elementos exigidos para a conclusão da avaliação por órgãos especializados no assunto.

Pensando nisso, separamos 5 etapas cruciais para que a sua organização consiga se direcionar melhor nessa jornada em direção à alta eficiência e qualidade. Acompanhe!

Acreditação Hospitalar: 5 passos necessários para buscar a certificação

A acreditação hospitalar, que não é uma ação obrigatória, é um imprescindível passo para a organização de saúde que visa ser referência no mercado. Isso porque é o próprio hospital quem solicita o processo de avaliação e determinação da elegibilidade para a certificação.

Por sua vez, a Organização Nacional de Acreditação (ONA) realiza uma prévia avaliação para identificar o cumprimento de exigências iniciais e, logo em seguida, passa a acompanhar de perto todos os processos, demandas, setores e gestores.

É nesse momento que a sua instituição deve mostrar a que veio, isto é, acatando mudanças e implementando novos direcionamentos.

A certificação realizada pela ONA se baseia em 5 elementos que a sua instituição tem por obrigação seguir e/ou ajustar. Veja a seguir como tudo deve começar!

1. Aspectos administrativos e de liderança

O primeiro passo analisado pelos profissionais auditores da ONA diz respeito às orientações administrativas atuais da instituição. Além disso, é avaliado seu planejamento, a fim de determinar a forma como a organização se posiciona no mercado.

Ademais, até mesmo a relação com os clientes passa pelo escopo avaliativo, que tem como objetivo central compreender as premissas para assegurar a qualidade dos serviços prestados.

2. Organização da assistência e atividades profissionais

Nesse segundo ponto de atenção, serão avaliados os aspectos da Enfermagem, bem como do corpo clínico da instituição. A intenção é estabelecer o formato do serviço assistencial prestado diretamente aos pacientes.

Portanto, é aqui que seus gestores irão apresentar informações que indiquem maior atenção e qualidade no atendimento, como suporte ao diagnóstico assertivo e padrões técnicos de apoio.

3. Serviços e demandas que apoiam os diagnósticos

Como bem sabemos, um hospital não funciona sozinho. Toda organização está alinhada a outras empresas que prestam serviços para agilizar e trazer mais qualidade operacional, como é o caso dos laboratórios clínicos parceiros.

Dessa forma, a razão para que a ONA avalie os serviços que apoiam as demandas de diagnóstico, é reunir e consolidar todos os “players” presentes ao longo do fluxo de trabalho do hospital.

Somente assim é viável compreender os impactos no atendimento e diagnóstico proporcionados por todos que têm carga de responsabilidade pelo serviço.

Inclusive, outros serviços passam pela análise de qualidade ONA, como Centros de Diagnóstico por Imagem, Anatomia Patológica e Métodos Gráficos utilizados.

4. Serviços destinados aos pacientes com foco na atenção

A etapa de apreciação dos serviços assistenciais direcionados aos pacientes, tem como foco evidenciar as equipes interdisciplinares e multidisciplinares.

Isso porque é fundamental instituir o nível qualitativo do contato direto com os pacientes. Logo, os profissionais responsáveis pela certificação avaliam:

1.     Radioterapia

2.     Reabilitação

3.     Tratamento intensivo

4.     Obstetrícia

5.     Internação

6.     Centro Cirúrgico

7.     Ambulatório

8.     Emergência

9.     Hemoterapia

10.  Anestesiologia

Portanto, o hospital deve apresentar indícios de que mantém um fluxo de trabalho altamente eficiente e organizado em cada um dos procedimentos acima, além de profissionais realmente capacitados e alinhados às ações hospitalares.

5. Processos atuais de abastecimento e armazenamento

Por último, mas não menos importante, temos a avaliação dos processos relacionados ao abastecimento, armazenamento e padrões de estocagem.

A ideia é entender como funciona a cadeia de suprimentos do hospital e como isso beneficia o paciente. Por conseguinte, a ponderação percorre subseções como:

1.     Central de processamento de roupas

2.     Controle de infecções

3.     Nutrição e Dietética

4.     Arquivos médicos

5.     Saúde ocupacional e segurança

6.     Serviço social

7.     Higiene

8.     Central de processamento de materiais e esterilização

9.     Farmácia.

10.  Estatísticas

Por que a tecnologia é indispensável nesse cenário?

A tecnologia é simplesmente o eixo que sustenta todas estas obrigatoriedades para a conquista da Acreditação Hospitalar.

Ao viabilizar integração, automatização e centralização de todos os dados, documentos e demandas hospitalares, é possível promover a organização que traz mais assertividade e eficiência ao profissional no tratamento dos pacientes.

A acreditação hospitalar está diretamente relacionada à qualidade assistencial de um hospital, e tal característica é oferecida pelo software de gestão hospitalar.

Caso tenha ficado com dúvidas ou precise de auxílio para consolidar os processos da sua instituição, acesse para falar com um especialista SALUX.

Nossa equipe e sistemas estão preparados para arquitetar a melhor estrutura para que você alcance a sua acreditação. Siga nossas redes sociais e acompanhe o Blog SALUX, temos sempre conteúdos novos e importantes para seu hospital!

Rua Furriel Luiz Antônio de Vargas, 380 | Bela Vista | Porto Alegre - RS - (51) 3021-0055 - 90470-130
Infraestrutura Plantão 24 Horas
51 99239-6976
Suporte
51 99767-7602
Receber novidades
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form.